Compartilhar

Em entrevista à revista FORBES, Kanye West disseca sua maior criação: a linha Yeezy. Desde 2009, quando ainda era colaborador da Nike, os sneakers criados por ele são objetos de desejo de todos.

A briga direta é com a maior rival, Nike/Jordan. Mais especificamente com a linha Jordan, que faz aproximadamente US $ 3 bilhões em vendas anuais. Já a linha Yeezy, bem mais nova que a linha de MJ, deve superar US $ 1,5 bilhão em 2019 e crescer.

 

Criação e Criador. Kanye mostra todos os sneakers já desenhados para a Adidas até agora.

Numa das melhores passagens da grande entrevista/matéria da FORBES, destaca-se a comparação da o Yeezy Boost ao do iPod no mundo. O onipresente e robusto Yeezy Boost 350, que vem em dezenas de variedades de colorways responde pela maior parte das vendas da Yeezy. Diz Kanye: “Para fazer produtos que façam as pessoas sentirem uma enorme quantidade de alegria e resolver problemas e problemas em sua vida, essa é a resolução de problemas que eu adoro fazer.”

 

Kanye e família. Fazer gente feliz através dos produtos.

Outra parte bem interessante é a passagem que conta sobre a parceria com a Nike. Muita gente não sabe, mas o apelido Yeezy vem de encurtamento de “Kanyeezy” que é como seu outrora amigo Jay-Z lhe deu em uma música de 2003. Kanye conta que Mark Parker (CEO da Nike) o colocou na sala com ninguém menos Tinker Hatfield, designer da Air Jordan 3, foi de onde saíram os primeiros protótipos do que viria a ser o Air Yeezy 1.

 

Tinker Hatfield em 2008 usando um sample do Air Yeezy 1.

O texto passa por diversos momento de Kanye, desde a acensão em 2008, a treta com Taylor Switf, auto-proclamação de “Eu sou um Deus”, anúncio de falência, briga com Jay-z, hospitalização por problemas mentais, até a reunião com Donald Trump.

 

Sem medo de se expor. Kanye coleciona passagens polêmicas.

Voltando para os Sneakers, temos a saída rusgada da Nike e a ida para a Adidas, depois de um hiato de 3 anos. Então em 2016 começava a história que acompanhamos hoje. Um sneaker totalmente novo, com uma tecnologia incrível (BOOST) e hype de sobra para fazer com que qualquer par que fosse lançado se esgotasse em questão de segundos.

 

Adidas Yeezy 350. Já na versão 2 esse é o principal modelo da linha de Kanye.

Outra curiosidade contada por Kanye é a participação de sua esposa no processo criativo do Yeezy. Kim Kardashian é frenquetemente consultada por Kanye quando ele pretente lançar alguma coisa. Como ele prefere descrever : “trocamos idéias nas reuniões na hora de dormir”. Qual casal nunca? Além do que é a Kim que atualmente mais aparece usando os modelos ainda não lançados.

 

Reuniões na hora de dormir é onde o casal discute muitas ideias para a linha.

Por fim fica claro que a estratégia da Adidas com Kanye é a longo prazo. A intenção é massificar aos poucos os produtos, lançando mais quantidades mas de forma que ainda permaneça , nas palavras da marca, “disciplinada”.

“Continuamos a gerenciar volumes de maneira muito disciplinada, para que, em 2019, as vendas da Yeezy não representem uma parcela significativa do crescimento geral de vendas esperado da Adidas”, afirma o executivo-chefe da empresa, Kasper Rørsted. “Não porque o aquecimento da marca esteja diminuindo, mas porque temos uma abordagem disciplinada para gerenciar volumes e ciclos de vida de produtos.” Em outras palavras, ele não está disposto a perseguir as vendas em detrimento do prestígio.”

Concordando ou não é uma estratégia inteligente. Yeezy para a Adidas serve como uma vitrine, um chamariz, um selo. Para Kanye significa liberdade de expressão. Ganho mútuo. Ganhamos todos.

Vale a pena conferir a matéria completa.

https://www.forbes.com/sites/zackomalleygreenburg/2019/07/09/kanyes-second-coming-inside-the-billion-dollar-yeezy-empire/#79835ec25ec3

Compartilhar

Comentários

Seu endereço de email não será publicado

Posts Relacionados