Compartilhar

O pai do hype dos sneakers:
A história e a influência dos retrôs.

O ano era 1985 e apenas quatro quartos foram o suficiente para gerar um hype que ainda vive, 32 anos depois. Eu estou falando, nesse caso específico, do Jordan 1 Bred, um dos tênis mais cobiçados até os dias atuais. Mas, fica a pergunta: 

Como os tênis clássicos influenciaram e influenciam o hype até hoje?

Claro, um dos fatores para o Jordan 1 ser um dos tênis mais desejados até os dias de hoje passa pela lenda escrita, a sangue e suor, por Jordan nas quadras da NBA de 1985 até 2003. Apenas esse fato traz um peso muito maior para a linha usada por Michael em quadra, do modelo 1 ao 14. Um tênis ser usado pelo maior jogador de todos os tempos já é motivo suficiente para hypar: um tênis por mais de 30 anos.

Jordan com o Jordan 1 “Chicago” em 1985.

Ok, mas falar de MJ e sua linha de tênis é ser mais do que repetitivo: é ser óbvio! Por isso, darei minha opinião sobre como a cultura retro influenciou no hype dos tênis que duram até hoje. Primeiro vou fazer uma lista de três modelos que terão vida infinita:

 

 

1.     Jordan 1 

2.     Adidas Superstar

3.     Converse Chuck Taylor 70

 

Nascido nos anos 80, década que marcou o início da crescente do estilo musical mais popular da atualidade: o hip hop, o Superstar está muito relacionado com essa vertente musical. Naquela época, se destacou um grupo de três amigos nova iorquinos, também conhecido como RUN DMC. Três garotos do Queens, que se transformaram em um dos maiores marcos da história do hip-hop, sendo um dos pioneiros da nova escola do Rap, que começou no final dos anos 80 junto com Beastie Boys, LL Cool J e Public Enemy. O grupo ficou famoso não apenas pela sua músicas, mas por ter sido o primeiro nome a ser patrocinado por uma marca esportiva fora do esporte.

Podemos dizer que nesse momento, nasceu um modelo comercial de lançamento de sneakers que hoje é um dos mais populares entre todos: as colaborações. O Run DMC aplicou sua marca e seu estilo à uma das principais silhuetas da Adidas, o Superstar, que até hoje não só é um dos modelos mais procurados das três listras, bem como é uma referência para diversas outras criações até hoje.

Run DMC: após o sucesso “My Adidas”, a banda se tornou ícone no Hip-Hop.

Por ultimo, mas não menos importante, vou falar brevemente sobre o Converse Chuck Taylor. É um tênis com tanta história, que eu precisaria fazer uma coluna só para ele (quem sabe depois, né?). Mas, o CT 70 também foi um tênis que ganhou muita relevância nas quadras da NBA, com seus dois primeiros atletas patrocinados: Bill Russel e Wilt Chamberlain:

Wilt Chamberlain e Bill Russel com seus converse nos pés.

Mas o Converse é provavelmente o tênis old school mais plural de todos. Diversas tribos, estilos, classes sociais e idades tem no Converse Chuck Taylor uma das mais fortes memórias afetivas . Para boa parte dos sneakerheads, o Chuck Taylor é uma das maiores lendas da história. Seja com o Punk dos Sex Pistols nos anos 80, com o Nirvana nos anos 90, com LeBron James, que é fã dos modelos até os dias de hoje, ou até mesmo com os b-boys que gastam a sola de seus all-stars por aí há mais de 30 anos. O Converse Chuck Taylor é um clássico que se recusa a entregar-se ao tempo. Outro ponto de força dos Chuck Taylor foi nos pés e lixas dos skatistas dos anos 80, que até a chegada de modelos específicos para o esporte, castigavam o modelo até sua morte nas pistas pelo mundo.

Ok, eu contei essas três histórias pra chegar ao desfecho que eu gostaria de te passar aqui nessa minha primeira coluna no THBR. Afinal, de que maneira a velha escola dos sneakers influencia no hype da atualidade? Eu te respondo: totalmente! No caso do Jordan 1, mais atual impossível. Revendedores se matam em filas pra pegar o tênis que proporciona um dos maiores lucros da cena hoje em dia. Colecionadores, pais de família, garotos da escola, atletas conhecidos (e desconhecidos) e até mesmo a patricinha da faculdade pagam rios de dinheiro pra fecharem o pack das cores originais do tênis (com as quais Jordan jogou em 1985). Você quer mais hype que isso? Só puxando para as colabs com a Off White, Fragment, Solefly e diversas outras, que fazem o Jordan 1 ser um dos tênis mais cobiçados do Mercado até hoje.

A Colab entre Jordan e Off White, que para a CW Chicago hoje pode valer até R$16.000.

É claro que muito do que consumimos passa pela cena musical e cultura pop, que a cada dia que passa rege cada vez mais nossos hábitos de consumo. A molecada hoje está cada vez mais envolvida no hype e quer usar o que seus ídolos usam, isso é fato. Então, ao vermos celebridades dos dias de hoje usando modelos retro icônicos, sabemos que o hype dos clássicos ainda está muito vivo!

Travis Scott lança uma colab com a Jordan no dia 3/5 para um Jordan 1 reimaginado.

Em resumo. Os tênis clássicos ainda são uma realidade na nossa cena e não deixarão de ser tão cedo. Seja na música, no esporte ou nas ruas, os anos 80 e 90 ainda gritam forte suas mensagens e influenciam jovens que nem sequer passaram perto de viver essa fase.

 

Eu sou um fanático pelos OG’s (o Jordan 3 Black Cemente é um dos grails da minha coleção) e retrôs (qualquer cor do Jordan 4 me agrada)! 

E você? Acha que os clássicos vão demorar para morrer, ou até mesmo nunca morrerão? Espero que tenham curtido essa minha primeira coluna. Te vejo na próxima!

 

Não se esquece de seguir a gente no Instagram e no YouTube! É só buscar pelo snkrheadbr que você encontra nossos canais pra trocarmos mais ideia. Um abraço!

 

Por Luiz Otávio Mariano, fundador da Sneakerhead Brasil.

Compartilhar

Comentários

Seu endereço de email não será publicado

Posts Relacionados