Compartilhar

Tênis é legal demais! Pelo menos para mim que curto esse lifestyle, antes mesmo de existir ou ser usada essa expressão, antes mesmo do tênis se tornar Sneaker, muito antes de tudo se tornar mais business e menos amor.

Como todo hobby, nasceu num misto de curiosidade, admiração e empatia. Meu amor pelos famosos pisantes veio desde pequeno e foi se tornando maior a cada dia.

Ainda moloque mesmo, uns 5 a 6 anos, já gostava muito de tênis. Na época eram claro com motivos infantis, mas já me chamavam a atenção os detalhes, os shapes, as cores. Como não lembrar dos incríveis Bubble Gummers, com seus cadarços coloridos, cabebal acolchoado e emborrachado, passadores de metal e a sola que cheirava chiclete. Putz, isso era um sneaker e tanto para uma criança. 

Outro que me marcou muito foram os Bambas! Um tênis muito simples de lona e solado de borracha (versão pobre do All Star) mas que usei muito. Levava um par escondido na mochila da escola para trocar pelas sandálias de couro que minha mãe teimava em me obrigar a usar e eu achava horríveis. 

Fui crescendo e vieram os All Stars, Redleys, Tênis Rainha de Fustsal (aquele preto de couro com uma bola de futebol dourada), OP, Arkadian, Try On, Le Cheval (o sem BreakLight por favor) e claro os Rainha System.

Até ai eu gostava e usava os tênis até o osso! Ainda mais porque não tinha essa de ter “centos” pares, era um ou dois no máximo! Só que lá pelos 12 anos, com a galerinha já usando seus Nikes e Reeboks, eu comecei a ver a coisa de maneira diferente. Queria muito esses tênis, mas não tinha grana e minha mãe não me dava. Cara eu fiz de tudo, troquei tênis por videogame, permutei tênis com roupa, usei tênis emprestado…mas nada de conseguir um par do que eu realmente queria. 

Na época bombavam dois tênis: Nike Air SC Trainner e o Nike Force Basketball (até hoje não sei se é esse nome mesmo). E foi esse último que mudou o jogo. Nem sei até hoje como convenci minha mãe a me dar esse tênis, mas consegui! C A R A C A, o tênis era doido demais! Tudo que eu queria. Devia ser 1993 ou 1994, mas era o tênis que os roqueiros usavam e nessa época eu era (ou queria ser) meio heavy e depois meio grunge…sei lá…via o Axl Rose usando, o Myke Patton também usava direto, Lars Ulrich…todo mundo. Fora a galera do basquete.

Eu usei esse tênis até acabar, literalmente. Perdi a conta de quantas vezes colei a sola dele. Até que não teve jeito e tive que aposentar o bicho.

Mas nessa altura eu já trabalhava (sim com 14 anos de idade eu já trampava e ganhava minha grana) e daí tudo era voltado para comprar novos tênis. Juntava e comprava um tênis, outro, mais um, outro…nem eram tantos assim, mas a cada nova conquista era o máximo. E o mercado crescia mais e mais, trazendo mais modelos e marcas ano após ano. Em 1998 fiz minha primeira viagem aos Estados Unidos…já viu né! 

Daí não parou mais. Vieram os anos 2000 e os Nike Shox, Mizunos, Air Max, Adidas Hellbender, Reebok DMX, Puma Cell.

Em 2010 voltei a viajar pro exterior. Nessa época tava mais ligado nos tênis de Skate, DC Shoes e Vans principalmente. Essa vibe durou até 2013, 2014…foi quando voltei as atenções novamente para os tênis de LifeStyle. Ouvi as primeiras coisas sobre Yeezy, collabs. Fui me aprofundando por conta própria para entender mais. Aqui em BH não conhecia mais ninguém que curtisse tênis como eu curtia, querendo entender e buscar modelos diferentes. Em 2015 conheci o The Hype Br e um tal Lucas Penido. O resto é história rsrsrsrs…

Mas foi em 2016 que a coisa realmente tomou uma proporção que eu nunca imaginaria. A cena já estava bem acelerada, já rolava muita coisa boa aqui no Brasil, grupos grandes nas redes sociais  e tal. Entrei no I Love Sneakers pelo Facebook e lá fui fazendo amigos, conhecendo cada vez mais, aprendendo, mudando de gosto (isso é muito normal, se você tá nessa agora saiba disso). Comecei a colecionar mais e mais, comprar fora, gastar mais também. Eita hobbizinho caro! Mas não sou de me apegar não, se não estou usando passo para frente.

Mergulhei de cabeça mesmo depois que fiquei sócio do Lucas e ingressei nesse mundo do hype através do The Hype Br. Vi  a cena crescer assutadoramente e chegar ao que é hoje. Não sou daqueles que condenam o business, até porque faço também, mas critico a forma como ele está desmedido. Já  perdemos a sensação boa que é comprar um tênis para usar. Hoje a galera que consegue comprar para revender, muitas vezes sequer sabe a história daquele modelo e nem por quê ele vale tanto (e as vezes nem vale). Mas isso é passageiro, na minha opinião. A internet também contribuiu de forma positiva dando mais acesso para compra, mas também tirou o prazer de ir a loja comprar um tênis novo. Coisas dos novos tempos. Mas não temos o vinil ai para nos mostrar que nem tudo está perdido? 

Mas por que ainda é tão bom gostar de tênis? Essa pergunta para mim é simples: pelas histórias. Para mim a história por trás de cada modelo, o desenvolvimento, a criação, as colaborações…isso é muito fascinante. Mas o mais importante é a história que se cria a partir do momento que você deseja ter um certo tênis. A pesquisa por informações do novo lançamento, como vai ser, quais as cores, quando será vendido, se vem para o Brasil, quem já conseguiu, a mão suada na frente do computador para tentar comprar, conseguir comprar, no retail ou no resell. Pesquisar o rastreamento dos correios a cada minuto para saber se sua entrega está chegando e ver : O OBJETO SAIU PARA ENTREGA. Pode confessar é uma sensação quase orgásmica! 

Mas nada se compara a sensação de receber o tênis. Abrir o pacote, ver os detalhes da caixa, sentir o cheiro inconfundível de um seaker novo, e por fim, usar. Sim, usar, esse é o clímax sneakerhead. Sair com seu tênis novo pela rua e ver as pessoas olhando pro seu pé, porque olham mesmo, assim como eu fazia quando era moleque. É isso que faz esse hobby tão legal. 

Então eu torço para que esa essência nunca pare. Meus filhos que são pequenos já estão contaminados por esse bom vício. Se depender de mim serão sneakerheads, mas farei questão de lhes mostrar o lado lúdico da cena, a parte romântica e cheia de histórias que só quem gosta de tênis sabe como é.

É isso galera, essa é a minha história, agora gostaria de saber a sua! Conta ai nos comentários ou manda nas nossas redes sociais qual sua opinião: Por que é tão legal gostar de tênis?

Valeu demais e até a próxima.

Gostou desse conteúdo? Então selecionamos outro que você vai curtir também. Clica na imagem abaixo que te enviamos direto para lá! God Bless
Compartilhar

Comentários

3 Comentários

Seu endereço de email não será publicado

Posts Relacionados