Compartilhar

“A comunidade de hip-hop abraçou a Gucci, Fendi, Louis Vuitton e Bally muito cedo, por volta dos anos 80”, aponta Marcus Paul, que stylist do rapper Pusha-T. Todas essas marcas eram conhecidas e veneradas justamente por terem LOGOS poderosas que era instantaneamente associadas a riqueza e status. Justamente oposto da Prada, que na época praticava “anti-status”, se orgulhando de criar peças que falavam por si mesmas sem depender de um logotipo.

À frente da Prada desde 1985, Miuccia Prada, também chamada de Miu Miu.

Na época, a discussão sobre moda no hip-hop não era tão presente como é hoje. Os representantes do Rap, em particular, pouco ousavam, ficando no lugar comum entre roupas esportivas, camisetas, jeans e tênis. Mas sempre houve o desejo de possuir as coisas mais refinadas entre os rappers e, com o crescimento do hip-hop, surgiu a oportunidade de fazê-lo.

Com o interesse dos astros em se afirmar como ícones, tanto em sua arte quanto no estilo, marcas de luxo se tornaram o principal objeto de desejo. O envolvimento entre os dois mundos ficou tão latente que muitos rappers falavam das marcas em suas músicas.

Apesar disso, faltava ao mundo do alto luxo uma identificação maior com a linguagem visual dos artistas. Foi ai que em 1997 a marca de Miuccia Prada lançou a Prada Sport, mais tarde conhecida como Prada Linea Rossa. Era como se Prada tivesse previsto a revolução do streetwear 20 anos antes.

Anúncio da campanha de relançamento da Prada Linea Rossa.

Não deu outra. A Prada conquistou o mundo do Hip Hip e seguiu pelos anos seguintes, sempre sendo citada em músicas como Bow Wow em “Mo Money” de 2005, Gucci Mane em “Street Smart”. Na mesma época, artistas como LL Cool J estavam sendo convidados para os eventos da loja Prada em Los Angeles.

O tempo passou e outras marcas também se adaptaram ao estilo do Hip Hop, fazendo com a a Prada Linea Rossa perdesse espaço. Até que fosse descontinuada pela marca.

Até que em idos de 2010, um certo Kanye West foi visto vestindo um terno Prada. Pouco depois, um ainda “desconhecido” Virgil Abloh foi visto usando um gorro Linea Rossa. Já era a chama se reacendendo.

Mas o que realmente trouxa a Prada de volta ao mundo do Hip Hop foi sua temporada de outono / inverno 2016. Inspirada nos “períodos ruins e difíceis” da história, a coleção foi projetada para invocar ação e heroísmo diante da adversidade. Então, que melhor maneira de vestir um grupo de artistas que vieram de bairros pobres para se tornarem ícones globais?

Identificação imediata! Foi isso que aconteceu. Pouco tempo depois, nomes como ASAP Rocky , Kanye West e Pusha-T já estavam usando as peças da Prada em eventos. Ato contínuo, os fãs já abraçavam a marca como se disso dependesse a vida.

Pusha-T e sua “split-print bowling shirt” Prada.

Daí então, itens como as camisas com duas estampas, o sneaker Cloudbus, formaram uma onda de nostalgia dos anos 90, que vários nomes do hip-hop aderiram. Assim em 2018 a Prada reativou a Linea Rossa e desde então a marca tomou a dianteira na preferência dos artistas do Rap.

ASAP Rocky com seu Prada Cloudbust.

Os próximos passos mostram a coleção Primavera / Verão 2019 da Prada com elementos leves, estampas florais exuberantes estampadas em gola alta (olha a tendência vintage ai novamente!). Celebridades como Frank Ocean, Lil Uzi Vert já foram vistos usando as peças da nova coleção em ensaios e eventos.

Frank Ocean usando camiseta da Prada na capa da revista GQ.

Mas o que quer que venha a seguir, a relação entre o hip-hop e as marcas de alta-costura seguirá forte por munto tempo, e tudo indica que esse movimento deverá ser liderado pela marca de Miuccia Prada.

Fonte: Highsnobiety

Compartilhar

Comentários

Seu endereço de email não será publicado

Posts Relacionados